Diário de bordo - Malm

Fórum de discussão sobre o Mitsubishi I-MiEV e derivados.
OCasal
Moderador Global
Mensagens: 1172
Registado: 12 dez 2011, 17:08

Re: Diário de bordo - Malm

Mensagem por OCasal » 04 ago 2019, 01:14

No seu caso, não está equacionada a hipótese de trocar o Pack de baterias?

Avatar do Utilizador
figueiral
Mensagens: 110
Registado: 25 nov 2017, 23:58
Data de fabrico: 24 abr 2015
Capacidade bateria: 44,4 Ah
Localização: Santa Comba Dão

Re: Diário de bordo - Malm

Mensagem por figueiral » 04 ago 2019, 07:59

E estas Malm? É o Orlando que as está a vender. É uma opção ;)
https://www.facebook.com/www.standeletr ... 7929671911
É sorrir e carregar rapazes, sorrir e carregar.

Avatar do Utilizador
Malm
Proprietário i-MiEV
Mensagens: 3505
Registado: 06 ago 2011, 15:38
Data de fabrico: 31 mar 2011
Localização: Tábua

Re: Diário de bordo - Malm

Mensagem por Malm » 08 ago 2019, 20:58

Obrigado pela informação. Sim, é uma boa opção. Atendendo aos valores exorbitantes que pedem por novas, é uma maneira de colocar o carro outra vez com autonomia superior a 100 km.
O carro está com cerca de 60% da capacidade inicial. Já me aconteceu por duas vezes, no final de viagens de mais ou menos 50 km, já com poucas barras, acender-me o símbolo de avaria com o ponto de exclamação. Apesar de ligar esta luz no tablier, o carro continua a funcionar normalmente, permitindo que circule, acelere, e até que o desligue e volte a ligar. A luz desliga-se após carregar, bastando alguns minutos de carga para a fazer desaparecer. Estas viagens de 50 km foram um pouco mais exigentes que as que normalmente faço, em termos de velocidade média e desnível desfavorável. Desconfio que a luz aparece porque o carro deteta uma grande diferença entre voltagens na célula com maior voltagem e menor. Numa viagem mais exigente sem paragens esta amplitude torna-se maior no final do percurso. Quando o vou utilizando em percursos pequenos, mesmo que já tenha pouca carga, não acontece o que descrevi. Para já esta autonomia reduzida ainda não me limita para o uso habitual.
Entre um pack ainda mais fresco e um habitáculo tórrido, a escolha que faço é abrir as janelas.

Avatar do Utilizador
Malm
Proprietário i-MiEV
Mensagens: 3505
Registado: 06 ago 2011, 15:38
Data de fabrico: 31 mar 2011
Localização: Tábua

Re: Diário de bordo - Malm

Mensagem por Malm » 09 ago 2019, 09:03

Por agora não lhe vou mexer. Como disse, para as deslocações normais do dia-a-dia dá perfeitamente. Talvez opte pela experiência, numa primeira melhoria, por substituição de apenas umas quantas células mais fracas. Estou convencido que isso irá fazer uma diferença significativa. E o ideal é células já com uns 20% de degradação, para melhor equilíbrio. Pelo menos é mais um contributo para um melhor conhecimento deste tipo de solução.
Entre um pack ainda mais fresco e um habitáculo tórrido, a escolha que faço é abrir as janelas.

Avatar do Utilizador
Malm
Proprietário i-MiEV
Mensagens: 3505
Registado: 06 ago 2011, 15:38
Data de fabrico: 31 mar 2011
Localização: Tábua

Re: Diário de bordo - Malm

Mensagem por Malm » 04 set 2019, 18:37

Mostro-vos o que já vos contei, quando o carro está com pouca carga, acende o símbolo de avaria. Atribuo este acontecimento à grande disparidade que o carro deteta nas voltagens das diferentes células. Pelos visto uma diferença de 0,2V, com a mais forte acima dos 3,7V, é o suficiente. O carro continua a funcionar normalmente, e após algum tempo em carga a luz apaga-se.

Imagem

Imagem

É um sinal de que a bateria precisa que sejam substituídas algumas células, ou de ser integralmente substituída. Está de acordo com o facto de já ter menos de 60% da capacidade inicial. Já tem menos de 70% da capacidade há vários anos, e é esse o valor que muitas vezes é referido como indicador da necessidade de a substituir. Mas para as minhas pequenas viagens do dia a dia continua a servir perfeitamente, e ainda faz trajetos como Tábua-Viseu ou Coimbra-Tábua (com algum cuidado). Por isso não vai intervencionado já. Se eu a tivesse mudado com 70% da capacidade nunca poderia estar a mostra-vos este comportamento.

Está pertinho de fazer 8 anos e meio.
Entre um pack ainda mais fresco e um habitáculo tórrido, a escolha que faço é abrir as janelas.

Avatar do Utilizador
Malm
Proprietário i-MiEV
Mensagens: 3505
Registado: 06 ago 2011, 15:38
Data de fabrico: 31 mar 2011
Localização: Tábua

Re: Diário de bordo - Malm

Mensagem por Malm » 04 set 2019, 19:29

Recordo que este pack é com baterias pouco resistentes ao calor, as LEV50. Todos os carros elétricos têm hoje em dia baterias que degradam menos sob a ação do calor, inclusive o i-MiEV, e a grande maioria sistemas de refrigeração mais eficientes (o i-MiEV só faz refrigeração, circulando ar arrefecido pelo ar condicionado, nos carregamentos rápidos). Por outro lado, este pack não foi alvo de cuidados para o proteger do calor durante os primeiros anos de uso, o que traduziu numa degradação rápida nesse período. Se viesse equipado com as baterias atuais e se soubesse na altura o que sei hoje, provavelmente o pack teria mais de 70% da capacidade inicial. Não tomem este caso particular como um exemplo para a generalidade dos carros.
Entre um pack ainda mais fresco e um habitáculo tórrido, a escolha que faço é abrir as janelas.

Avatar do Utilizador
rnlcarlov
Mensagens: 1699
Registado: 16 jun 2015, 18:08
Data de fabrico: 04 mai 2011
Capacidade bateria: 41.1 Ah
Localização: Lisboa

Re: Diário de bordo - Malm

Mensagem por rnlcarlov » 05 set 2019, 15:51

Malm Escreveu:
04 set 2019, 19:29
Recordo que este pack é com baterias pouco resistentes ao calor, as LEV50. Todos os carros elétricos têm hoje em dia baterias que degradam menos sob a ação do calor, inclusive o i-MiEV, e a grande maioria sistemas de refrigeração mais eficientes (o i-MiEV só faz refrigeração, circulando ar arrefecido pelo ar condicionado, nos carregamentos rápidos). Por outro lado, este pack não foi alvo de cuidados para o proteger do calor durante os primeiros anos de uso, o que traduziu numa degradação rápida nesse período. Se viesse equipado com as baterias atuais e se soubesse na altura o que sei hoje, provavelmente o pack teria mais de 70% da capacidade inicial. Não tomem este caso particular como um exemplo para a generalidade dos carros.
Muito melhor do que um imiev que vi (com idade e kms semelhantes), cuja capacidade estava nos 20.9 Ah. No EvBatMon indicava battery condition 43.5%

Avatar do Utilizador
Malm
Proprietário i-MiEV
Mensagens: 3505
Registado: 06 ago 2011, 15:38
Data de fabrico: 31 mar 2011
Localização: Tábua

Re: Diário de bordo - Malm

Mensagem por Malm » 05 set 2019, 23:27

Se eu não tivesse, entre 2013 e 2016, começado a controlar de forma quase obsessiva a temperatura do pack, estaria próximo desses valores. Na atualidade, apesar de já não controlar da mesma forma a temperatura, também já não faço viagens muito longas com ele.
Entre um pack ainda mais fresco e um habitáculo tórrido, a escolha que faço é abrir as janelas.

Avatar do Utilizador
rnlcarlov
Mensagens: 1699
Registado: 16 jun 2015, 18:08
Data de fabrico: 04 mai 2011
Capacidade bateria: 41.1 Ah
Localização: Lisboa

Re: Diário de bordo - Malm

Mensagem por rnlcarlov » 06 set 2019, 11:51

Malm Escreveu:
05 set 2019, 23:27
Se eu não tivesse, entre 2013 e 2016, começado a controlar de forma quase obsessiva a temperatura do pack, estaria próximo desses valores. Na atualidade, apesar de já não controlar da mesma forma a temperatura, também já não faço viagens muito longas com ele.
O curioso é que, segundo o dono, ele nunca se aventurou para longe. Sempre foi um carro para os subúrbios de Lisboa. Duvido que tenha visto muitas CRs na vida (se bem que nos clones já sabemos que não é como nos leafs). Certamente que nunca fez >600km num único dia :D

Avatar do Utilizador
Malm
Proprietário i-MiEV
Mensagens: 3505
Registado: 06 ago 2011, 15:38
Data de fabrico: 31 mar 2011
Localização: Tábua

Re: Diário de bordo - Malm

Mensagem por Malm » 06 set 2019, 12:57

Compreendo a degradação elevada se fizer um uso diário e carregamentos diários. Se a bateria estiver quase sempre em carga e descarga nunca vai ter oportunidade de arrefecer. É um paradoxo, porque é a andar que se poupa, e estes carros, dado o preço superior aos CI em novos, só se justifica a sua compra se for para uso frequente. Eu como às vezes passam-se 3 dias sem colocar o carro a carregar, dou-lhe a oportunidade de arrefecer. Andar frequentemente a velocidades a rondar os 100 km/h também não ajuda, porque aquece mais rápido e vai ter necessidade de carregar mais tempo, porque o consumo vai ser muito maior para os mesmos quilómetros. O único caso que conheço de uma degradação acima de 50% é de um australiano que o usava em corridas de carros.
Entre um pack ainda mais fresco e um habitáculo tórrido, a escolha que faço é abrir as janelas.

Responder

Voltar para “Mitsubishi I-MiEV, Citroen C0 e Peugeot Ion”