Diário de bordo Leaf 24kw "Atlantic"

Fórum para partilhar as experiências de condução dos proprietários do Leaf 24 e 30 kW.h.
Avatar do Utilizador
Nonnus
Mensagens: 849
Registado: 10 set 2017, 04:43
Data de fabrico: 01 jun 2017
Capacidade bateria: 83,14 Ah 12 Barras

Re: Diário de bordo Leaf 24kw "Atlantic"

Mensagem por Nonnus » 16 ago 2019, 10:45

mjr Escreveu:
16 ago 2019, 10:26
Deixo um exemplo. Tenho uma bateria de uma Canon 500D que passou cerca de 1 ano a 0% (não ligava a máquina sequer). Depois de a carregar a 100% já tirei mais de 100 fotos com a máquina. E esta bateria tem 9 anos...
Tenho dois exemplos parecidos. A bateria da minha PSP-Slim (PSP-2000) passa mais tempo descarregada do que com carga. Devido a dar pouca importância a consola só a carrego quando o meu filho mais velho me pede para jogar, passando semanas sem carga, o que é certo é que ainda aguenta muita carga após este anos todos (12 anos).

O outro exemplo é a bateria da minha maquina de filmar, uma Samsung que devido a cada vez termos telemóveis com cameras melhores passa mais tempo sem carga. À duas semanas peguei nela, pus a carga e ficou pronta a usar, recebeu a carga fiz duas filmagens e esta parada outra vez.
Proprietário de Nissan Leaf 30KWh desde: 25 de Setembro de 2017
- 9 meses depois 15/06/2018 30000km
- 12 meses depois 25/09/2018 40000km
- 16 meses depois 25/01/2019 60000km

Avatar do Utilizador
mjr
Administrador do site
Mensagens: 8548
Registado: 04 jan 2011, 15:55
Data de fabrico: 30 mai 2018
Capacidade bateria: 114.8 Ah 12 barras
Localização: Porto

Re: Diário de bordo Leaf 24kw "Atlantic"

Mensagem por mjr » 16 ago 2019, 10:51

Já com os portáteis e smartphones acontece o inverso. Passam muito tempo a 100% quando ligados à corrente e sofrem por isso degradações aceleradas. E até era simples de resolver por software, programando uma hora de fim de carga como nos carros.
Nissan Leaf 40 Tekna preto, entregue em 30 de maio de 2018. 25000km em 2019-07-27.
Nissan LEAF mk1 Preto, entregue em 7 de julho de 2011. 162000 km em 2019-07-27.
Tesla Model 3 LR preto entregue em 2019-03-06. 13500km em 2019-07-27.
Sócio da associação de Utilizadores de Veículos Elétricos, UVE: http://www.uve.pt

corrisi
Mensagens: 59
Registado: 01 dez 2018, 20:38
Data de fabrico: 01 jan 2011
Capacidade bateria: 65,5 Ah

Re: Diário de bordo Leaf 24kw "Atlantic"

Mensagem por corrisi » 16 ago 2019, 11:19

mjr Escreveu:
16 ago 2019, 10:26
Só agora vi o tópico.

De facto não parece haver nada a fazer. Eu apenas faria uma nova descarga profunda para verificar se após a carga a 100% e balanceamento a coisa mudou, mas sinto que não pois a capacidade de balanceamento é muito limitada (leia-se lenta, demorando vários dias a balancear um desequilíbrio médio). Na verdade estas células estão a limitar o pack em pouca capacidade até porque as células mais fracas seguintes não estão muito longe.

Sobre a “fome” das baterias, isso não acontece de todo. O estado natural das mesmas é descarregado, quando estão carregadas estamos a aumentar o stress interno, com a degradação do eletrólito. É preciso abusar muito uma célula de litio para a danificar por carga baixa, o que é impossível de fazer no Leaf pois o LBC abre o contactor, isolando o pack, com a tensão na célula mais fraca muito acima do valor em que esta se danificaria.

Deixo um exemplo. Tenho uma bateria de uma Canon 500D que passou cerca de 1 ano a 0% (não ligava a máquina sequer). Depois de a carregar a 100% já tirei mais de 100 fotos com a máquina. E esta bateria tem 9 anos...
Viva mjr!
Quando refere que pode demorar vários dias a balancear um desequilíbrio médio significa que pode ser possível reverter o estado das weak cells após vários carregamentos a 100 % com balanceamento respetivo das células?
Nos últimos dias tenho feito 100 kms por dia aproximadamente, o Hx tem subido ligeiramente e consequentemente o SOH também.
Não tenho notado que as células 68 e 76 estejam com voltagens muito baixas comparativamente com as restantes. Esta noite não carreguei por ter chegado ontem com mais de 60% de bateria e LS indicava o seguinte.
Anexos
Screenshot_20190815-190215.png

Avatar do Utilizador
MRider
Proprietário Leaf
Mensagens: 1066
Registado: 07 fev 2014, 00:20
Capacidade bateria: 40 Ah

Re: Diário de bordo Leaf 24kw "Atlantic"

Mensagem por MRider » 16 ago 2019, 12:31

mjr Escreveu:
16 ago 2019, 10:26
Só agora vi o tópico.

...

Sobre a “fome” das baterias, isso não acontece de todo. O estado natural das mesmas é descarregado, quando estão carregadas estamos a aumentar o stress interno, com a degradação do eletrólito. É preciso abusar muito uma célula de litio para a danificar por carga baixa, o que é impossível de fazer no Leaf pois o LBC abre o contactor, isolando o pack, com a tensão na célula mais fraca muito acima do valor em que esta se danificaria.
Então na sua opinião é preferível deixar várias horas a 30 ou 40 % do que deixar a 70 ou 80 %?

Avatar do Utilizador
migle
Mensagens: 2241
Registado: 01 set 2017, 00:21
Data de fabrico: 25 set 2017
Capacidade bateria: 78Ah
Localização: Alcochete

Re: Diário de bordo Leaf 24kw "Atlantic"

Mensagem por migle » 16 ago 2019, 15:45

Sim, 40% é melhor que 70% para ficar parada.

Porém, o que não se falou aqui neste tópico é qual é o problema da bateria descarregar.
Se a bateria se descarregar, a camada sólida de interface com o electrólito (SEI) começa a dissolver-se, esta camada é essencial ao funcionamento, começou a formar-se na fábrica com ciclos de carga/descarga controlados.
Pior, numa descarga prolongada há uma deposição de cobre no interior da bateria e que forma um curto-circuito interno entre os dois eléctrodos. Isso significa uma bateria que está permanentemente em descarga e tende a aquecer e eventualmente arde espontaneamente.

Por essa razão (cobre), as células têm um dispositivo de protecção que abre se a tensão da célula baixar abaixo do limiar de segurança que foi definido e deixam de carregar.
Por exemplo, a empresa ligada ao batteryuniversity.com vende aparelhos que recuperam baterias neste estado adormecido carregando-as com uma corrente muito fraquinha. Mas eles são os primeiros a dizer que se a bateria não sair do adormecimento em um minuto já não deve ser usada. Não é que ela não possa voltar a carregar, simplesmente pode já ter formado cobre no interior e não é seguro usá-la, deve ser reciclada.

Dado o grau de exigência no caso dos carros, o contactor desliga a uma tensão muito superior a esta, para evitar que as baterias se tijolem por a pessoa ter deixado o carro estacionado um mês com a bateria baixa... (dada a auto-descarga)

Só para dizer o quê? Para dizer que sim, pode-se ressuscitar uma bateria, mas depois não se pode mais confiar nela.
Ou seja, deixar que uma bateria Li-Ion se descarregue é o fim dela efectivamente.

Além disso, em SoCs baixos, a resistência interna é maior, e a sua utilização nestes SoCs acarreta um envelhecimento acelerado.
Ioniq EV Imagem — Prius+ Imagem

Avatar do Utilizador
mjr
Administrador do site
Mensagens: 8548
Registado: 04 jan 2011, 15:55
Data de fabrico: 30 mai 2018
Capacidade bateria: 114.8 Ah 12 barras
Localização: Porto

Re: Diário de bordo Leaf 24kw "Atlantic"

Mensagem por mjr » 16 ago 2019, 16:39

Sobre demorar muito tempo a balancear as células, apenas quis dizer que neste caso particular a carga a 100% não teria sido suficiente para equilibrar o pack de maneira mensurável. Ou seja, de acordo com o screenshot a 100% a bateria está balanceada e não há nada mais a fazer.

Sim, 40% é melhor que 70%, como 10% é melhor que 40%. É sempre melhor um SOC baixo, exceto se formos abaixo de cerca de 2V, onde a camada que o Migle mencionou começa a ser dissolvida. Após isso acontecer, qualquer carga a correntes normais irá depositar metais não desejados e dar cabo da bateria. Mesmo a correntes muito baixas não há garantias que tudo corra bem. O mínimo que vi no pack original do Leaf foi 3.0V e no novo pack foi 2.5V, tensões muito acima das que podem danificar as células.

O problema de deixar muito tempo a com SOCs baixos tem a ver com a auto descarga. No caso do Leaf esta é praticamente inexistente mas pode ao longo de meses após deixar o carro com 5% de SOC, por exemplo, fazer com que a tensão desça aos 2V, danificando a bateria.
Nissan Leaf 40 Tekna preto, entregue em 30 de maio de 2018. 25000km em 2019-07-27.
Nissan LEAF mk1 Preto, entregue em 7 de julho de 2011. 162000 km em 2019-07-27.
Tesla Model 3 LR preto entregue em 2019-03-06. 13500km em 2019-07-27.
Sócio da associação de Utilizadores de Veículos Elétricos, UVE: http://www.uve.pt

corrisi
Mensagens: 59
Registado: 01 dez 2018, 20:38
Data de fabrico: 01 jan 2011
Capacidade bateria: 65,5 Ah

Re: Diário de bordo Leaf 24kw "Atlantic"

Mensagem por corrisi » 16 ago 2019, 16:53

mjr Escreveu:
16 ago 2019, 16:39
Sobre demorar muito tempo a balancear as células, apenas quis dizer que neste caso particular a carga a 100% não teria sido suficiente para equilibrar o pack de maneira mensurável. Ou seja, de acordo com o screenshot a 100% a bateria está balanceada e não há nada mais a fazer.

Sim, 40% é melhor que 70%, como 10% é melhor que 40%. É sempre melhor um SOC baixo, exceto se formos abaixo de cerca de 2V, onde a camada que o Migle mencionou começa a ser dissolvida. Após isso acontecer, qualquer carga a correntes normais irá depositar metais não desejados e dar cabo da bateria. Mesmo a correntes muito baixas não há garantias que tudo corra bem. O mínimo que vi no pack original do Leaf foi 3.0V e no novo pack foi 2.5V, tensões muito acima das que podem danificar as células.

O problema de deixar muito tempo a com SOCs baixos tem a ver com a auto descarga. No caso do Leaf esta é praticamente inexistente mas pode ao longo de meses após deixar o carro com 5% de SOC, por exemplo, fazer com que a tensão desça aos 2V, danificando a bateria.
migle Escreveu:
16 ago 2019, 15:45
Sim, 40% é melhor que 70% para ficar parada.

Porém, o que não se falou aqui neste tópico é qual é o problema da bateria descarregar.
Se a bateria se descarregar, a camada sólida de interface com o electrólito (SEI) começa a dissolver-se, esta camada é essencial ao funcionamento, começou a formar-se na fábrica com ciclos de carga/descarga controlados.
Pior, numa descarga prolongada há uma deposição de cobre no interior da bateria e que forma um curto-circuito interno entre os dois eléctrodos. Isso significa uma bateria que está permanentemente em descarga e tende a aquecer e eventualmente arde espontaneamente.

Por essa razão (cobre), as células têm um dispositivo de protecção que abre se a tensão da célula baixar abaixo do limiar de segurança que foi definido e deixam de carregar.
Por exemplo, a empresa ligada ao batteryuniversity.com vende aparelhos que recuperam baterias neste estado adormecido carregando-as com uma corrente muito fraquinha. Mas eles são os primeiros a dizer que se a bateria não sair do adormecimento em um minuto já não deve ser usada. Não é que ela não possa voltar a carregar, simplesmente pode já ter formado cobre no interior e não é seguro usá-la, deve ser reciclada.

Dado o grau de exigência no caso dos carros, o contactor desliga a uma tensão muito superior a esta, para evitar que as baterias se tijolem por a pessoa ter deixado o carro estacionado um mês com a bateria baixa... (dada a auto-descarga)

Só para dizer o quê? Para dizer que sim, pode-se ressuscitar uma bateria, mas depois não se pode mais confiar nela.
Ou seja, deixar que uma bateria Li-Ion se descarregue é o fim dela efectivamente.

Além disso, em SoCs baixos, a resistência interna é maior, e a sua utilização nestes SoCs acarreta um envelhecimento acelerado.
Obrigado a ambos pelo aporte de mais estas informações de grande utilidade. Vou continuar a acompanhar de perto o estado da bateria e das weak cells através do leaf spy. Cumprimentos.

clay
Mensagens: 25
Registado: 25 jan 2018, 18:04
Data de fabrico: 24 jan 2017
Capacidade bateria: 69,78AHr 12 barras
Localização: Caniço - Ilha da Madeira

Re: Diário de bordo Leaf 24kw "Atlantic"

Mensagem por clay » 16 ago 2019, 20:49

corrisi Escreveu:
16 ago 2019, 11:19

Viva mjr!
Quando refere que pode demorar vários dias a balancear um desequilíbrio médio significa que pode ser possível reverter o estado das weak cells após vários carregamentos a 100 % com balanceamento respetivo das células?
Nos últimos dias tenho feito 100 kms por dia aproximadamente, o Hx tem subido ligeiramente e consequentemente o SOH também.
Não tenho notado que as células 68 e 76 estejam com voltagens muito baixas comparativamente com as restantes. Esta noite não carreguei por ter chegado ontem com mais de 60% de bateria e LS indicava o seguinte.
Caro Ivo, parece que conseguiste fazer subir o soh qualquer coisa, ou pelo menos parar a descida, nada mau! Quê que fizeste? O meu continua forte na descida! 💪💪 numa semana já lá se foram quase 1%.

Abraço 😁
Nissan Leaf Acenta 30kW 01/2017

corrisi
Mensagens: 59
Registado: 01 dez 2018, 20:38
Data de fabrico: 01 jan 2011
Capacidade bateria: 65,5 Ah

Re: Diário de bordo Leaf 24kw "Atlantic"

Mensagem por corrisi » 16 ago 2019, 21:52

clay Escreveu:
16 ago 2019, 20:49
corrisi Escreveu:
16 ago 2019, 11:19

Viva mjr!
Quando refere que pode demorar vários dias a balancear um desequilíbrio médio significa que pode ser possível reverter o estado das weak cells após vários carregamentos a 100 % com balanceamento respetivo das células?
Nos últimos dias tenho feito 100 kms por dia aproximadamente, o Hx tem subido ligeiramente e consequentemente o SOH também.
Não tenho notado que as células 68 e 76 estejam com voltagens muito baixas comparativamente com as restantes. Esta noite não carreguei por ter chegado ontem com mais de 60% de bateria e LS indicava o seguinte.
Caro Ivo, parece que conseguiste fazer subir o soh qualquer coisa, ou pelo menos parar a descida, nada mau! Quê que fizeste? O meu continua forte na descida! 💪💪 numa semana já lá se foram quase 1%.

Abraço 😁
Viva Carlos!
Estanquei a "hemorragia" do SOH com o carregamento rápido que fiz há precisamente 8 dias. Depois disso tenho feito diariamente aproximadamente 100kms e isso ajuda sempre a subir o SOH.
Estou a fazer testes ainda no que respeita à influência dos carregamentos a 80 e a 100% nas oscilações do SOH. Tal como descrito por outros membros cá do fórum, parece-me que o carro começa a prever em baixa o SOH quando por exemplo tenho o carro programado para carregar até 80% e por qualquer motivo interrompo aos 60%. A mesma coisa se tenho programado os 100% e termino a carga aos 85, 90 ou 95%.
Como o teu é de 30kwh tens apenas disponível a opção de carregar até 100%, como raramente o fazes ele começa a ficar "confuso" nos cálculos que faz considerando que os kwhs que entram nos teus carregamentos são poucos para aquilo que seria expectável para um carregamento a 100%, daí considerar que a tua bateria está com degradação acelerada, em teoria. Isto sou eu a pensar e a concluir segundo os meus parcos conhecimentos neste domínio.

Um abraço.

Avatar do Utilizador
MRider
Proprietário Leaf
Mensagens: 1066
Registado: 07 fev 2014, 00:20
Capacidade bateria: 40 Ah

Re: Diário de bordo Leaf 24kw "Atlantic"

Mensagem por MRider » 16 ago 2019, 23:22

mjr Escreveu:
16 ago 2019, 16:39
...

Sim, 40% é melhor que 70%, como 10% é melhor que 40%. É sempre melhor um SOC baixo, exceto se formos abaixo de cerca de 2V, onde a camada que o Migle mencionou começa a ser dissolvida. Após isso acontecer, qualquer carga a correntes normais irá depositar metais não desejados e dar cabo da bateria. Mesmo a correntes muito baixas não há garantias que tudo corra bem. O mínimo que vi no pack original do Leaf foi 3.0V e no novo pack foi 2.5V, tensões muito acima das que podem danificar as células.

O problema de deixar muito tempo a com SOCs baixos tem a ver com a auto descarga. No caso do Leaf esta é praticamente inexistente mas pode ao longo de meses após deixar o carro com 5% de SOC, por exemplo, fazer com que a tensão desça aos 2V, danificando a bateria.
Eu a 60 mil km que carrego sempre que possível logo que esteja abaixo de 60 %.
Não deixo muitas horas com carga inferior a 50 %.
Uso a opção dos 80 %.
Só quando vou de férias e tenho de deixar o carro parado então fica a 50 %.
De resto tento dar uma carga a 100 % de 15 em 15 dias.
Tenho feito assim e não me tenho dado mal.

PS: carrego sempre a 16 A ou superior. Cargas a 10 A ou inferior fazem o carro estimar mal o soh.

Responder

Voltar para “Diários de Bordo 24 - 30 kW.h”